Diferenças com outros enfoques e ferramentas

BCPO
BCPO EspañolBCPO PortuguésBCPO Inglés

Por que estruturar a Solução de Continuidade Operativa em vários planos e não em um só?

As tarefas que uma organização deve desenvolver para recuperar-se de uma contingência são muito diversas e procuram uma série de objetivos concretos; que usualmente requerem de habilidades e conhecimentos específicos de parte das pessoas que as executam.


Isso faz que naturalmente o trabalho de recuperação seja organizado através de uma série de equipes de resposta, cada uma com responsabilidades e habilidades concretas.

Provavelmente essas equipes não sejam “intercambiáveis”, ou seja que nenhuma delas tem o conhecimento necessário para executar as tarefas que são responsabilidade de outra, por tanto não existe nenhuma necessidade de que nenhuma equipe conte com a descrição das tarefas que devem realizar as restantes. Ainda mais, é recomendável que não seja desse jeito. Geralmente os procedimentos obtidos nos planos podem conter informação confidencial ou sensível, que não é conveniente divulgar mais do que é estritamente necessário. Por exemplo, muitas vezes nos casos de contingência a estrutura de controle interno das organizaçőes pode ver-se debilitada ao eliminar-se controles para lograr um nível operativo aceitável durante o período de operação em regime de contingência, o qual não é aconselhável que seja divulgado, como também não a locação de instalaçőes alternativas, números de contato pessoais da alta gerência, etc.

Coordenação entre as equipes

Mesmo levando em conta o anteriormente exposto, tanto ao momento de ter que executar os Planos de Contingência quanto de sua manutenção, a coordenação entre as equipes é fundamental, dado que geralmente se requere do trabalho de várias para recuperar cada processo da organização. Nesses casos dizemos que essas equipes estão “vinculadas”.


Para resolver esse tema e refleti-lo automaticamente na aplicação se trabalhou da seguinte forma: quando uma tarefa, que forma parte de um plano (responsabilidade de uma equipe determinada), está vinculada a outra equipe, se deverá indicar explicitamente essa relação segundo o formato sugerido pelo BCPOrganizer.

No que tange à instancia da execução do plano, essa vinculação não é fechada, no sentido de que as equipes vinculadas conhecem completamente o objetivo da tarefa que devem desenvolver, em particular a equipe que vinculou as restantes sabe de que forma têm que apoiá-la, por conseguinte se estas últimas não respondem, embora provavelmente fique alterado o tempo de recuperação, poderá procurar esse suporte de outra forma e não ficará “parado” por falta de assistência ou coordenação.

No que se refere à instancia de manutenção, ao momento de modificar uma tarefa de qualquer plano que tenha uma ou mais equipes vinculadas à mesma, essas serão automaticamente notificadas da mudança proposta, e requere-se á sua aprovação para que BCPOrganizer aceite essa mudança como definitiva.

Por que incluir um módulo para administrar Planos Preventivos dentro de BCPOrganizer?

Embora o objetivo de uma solução de continuidade dos negócios, é permitir à organização se recuperar de uma contingência de qualquer espécie, origem ou magnitude, sem dúvida, o nível de preparação que tenha a organização para resolver as suas possíveis contingências afetará a qualidade desta solução. Esta qualidade se evidencia através de: o custo ou esforço associado à execução de ações de resposta (Planos de Contingência), a infra-estrutura referenciada nos planos, o tempo de recuperação, o nível operacional atingido, a duração da contingência e o esforço associado com o retorno à normalidade.

Por outro lado, o nível de preparação para fazer frente às contingências em uma organização tem muito a ver com o esforço de prevenção, sendo capaz de garantir que, se as medidas preventivas são adequadas, o nível de preparação será bom e, portanto, a Solução de Continuidade Operativa de melhor qualidade.

Podemos dizer então que o trabalho em Business Continuity Management tem duas abordagens complementares: "Responder" e "Prevenir".

Responder é o elemento obrigatório neste assunto; e as ações necessárias para isso estão incluídas no Plano de Contingência. Enquanto trabalhar em Prevenir, é a forma mais eficiente e eficaz para melhorar a qualidade de resposta às contingências, e as ações necessárias neste caso podem ser formalizadas a partir do desenvolvimento de um Plano Preventivo.

O Plano Preventivo, como o Plano de Contingência, deve ser mantido adequadamente e, por esta razão, este módulo está incluído no BCPOrganizer V2.

O que é incluso em um plano preventivo? Como é desenvolvido?

Ao trabalhar na prevenção, é necessário identificar as situações que poderiam causar uma interrupção na operativa crítica da organização, especialmente nos casos em que se recuperar seja praticamente impossível ou muito caro ou difícil; e definir as medidas adequadas para reduzir a sua probabilidade de ocorrência ou reduzir o seu impacto. Para isso deve ser aplicada a técnica de análise de riscos, considerando como o ativo (conjunto de ativos) de interesse a continuidade operativa da organização. Na aplicação desta técnica podem-se identificar dois tipos de situações muito interessantes para a organização:
  • Aspectos que devem ser corrigidos para melhorar o nível de prontidão para contingências, seja porque diminui a probabilidade de interromper o funcionamento da organização ou melhora a qualidade das medidas de resposta (melhor nível de preparação, melhor qualidade do Plano de Contingência)
  • Aspectos que devem ser monitoradas para assegurar que o nível de preparação definido se mantenha ao longo do tempo (por exemplo, a execução dos backups, a disponibilidade de certos recursos nas condições necessárias, a formação do pessoal nos aspectos da contingência)

Tanto os aspectos a serem melhorados quanto aqueles a serem monitorados estarão incluídos no Plano Preventivo em BCPOrganizer.

Esta ferramenta fornece as funcionalidades necessárias para orientar a execução de várias Análises de Riscos, trabalhando em diferentes cenários, com diferentes estimativas de probabilidade e impacto e, portanto, obter uma análise do impacto destes riscos no negócio (Business Impact Analisys); tudo isso envolvido na preparação do Plano Preventivo, que poderá ser documentado e gerenciado usando também o BCPOrganizer.